domingo, 24 de janeiro de 2010

Magia Cigana


“Ki shan I romani,
Adoi san´I chov'hani."

“Aonde os ciganos vão,
Eu sei que as bruxas estão"

(Raymond Buckland, em Magia e Feitiçaria dos Ciganos)

Muita gente já ouviu falar e, certamente, já sentiu uma ponta de curiosidade a respeito da magia que os ciganos trazem na cultura e no sangue. Suas tradições, o folclore e os antigos ensinamentos fascinam e, ao mesmo tempo, provocam um misto de cuidado e atenção.

Diversos pesquisadores, entre eles Charles G. Leland e Raymond Buckland, já estudaram as magias e encantamentos utilizados por esse povo. Eles têm uma grande conexão com antigos rituais em que entram em estado de transe, utilizando esse procedimento para atingir seus objetivos. E o fazem sem deixar de lado sua devoção ao catolicismo, exaltado por vários ciganos e que muitas tribos do leste europeu usaram como pretexto para suas peregrinações durante os séculos XVI e XVII.

Em várias magias ocorre a invocação das forças naturais como os elementais (ar, água, fogo, terra) usadas para os mais diversos fins. Isso é mostrado por Leland em vários encantamentos nos quais não só as forças dos elementos, mas dos rios e paragens, são utilizados pelos ciganos para curar queimaduras de criança ou para achar coisas perdidas e roubadas. Além, é claro, das simpatias e amuletos ciganos, comentado, nos livros de Buckland e Pierre Derlon.



Para o "povo da estrada", a própria Terra é um lugar sagrado e mágico, contudo distante das visões do teo-matriarcalismo wiccano. Há muito tempo que os ciganos vêem e usam as energias místicas naturais para atingir seus objetivos, mas sem cair no estabelecimento de uma religião sexista, pois os ciganos são, antes de tudo, unidos por sua sabedoria e tradição.

Observando o mundo à sua volta e unindo a sabedoria dos seus anciãos, eles aprenderam a ler a sorte e conhecer o futuro nas mãos e no rosto das pessoas, e ganharam notoriedade fazendo isso, principalmente pelos acertos que obtêm. Para eles, esse é um dom natural que remete às antigas artes védicas da quiromancia e fisiognomonia.

Todo cigano que se preze sabe um pouco da magia de seu povo, e entre os ciganos obviamente existem aqueles que nascem com determinados dons, revelados por meio de marcas no corpo e por meio de certas coincidências na vida dessa pessoa. Quando isso ocorre, ela é preparada para assumir as responsabilidades que fazem parte do seu destino.

A magia é algo que não é para ser aprendido pelo cigano, mas faz parte do seu dia-a-dia. Desde o ar que respira à sua comida, da água que sacia a sede aos animais que o acompanham em sua jornada pelas várias estradas em que segue a sua eterna peregrinação, tudo é magia. E algumas vezes determinados eventos levam ao surgimento de pessoas que se sobressaem: as bruxas e feiticeiros ciganos.

As mulheres são conhecidas em alguns grupos como sh'uvanis, e os homens como kakus. São pessoas especiais que têm, entre os vários dons que possuem, a capacidade de prever o futuro e de curar doenças para as quais a medicina não encontra respostas. É a eles que os ciganos recorrem quando precisam de aconselhamento, uma vez que, segundo suas crenças, essas pessoas especiais estão em contato direto com “A Fonte”. Apesar da profunda crença nas forças mágicas e nas leis espirituais, o povo cigano é um profundo conhecedor e devoto dos santos católicos, aos quais dedicam uma atenção especial. Mas nada é tão especial e mágico para um cigano como o culto a Sara Kali.


(por Alex Filho no blog tsaradociganopablo)

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

PRÊMIO "ESSE BLOG VALE À PENA"

O sêlo "Esse Blog Vale à Pena" foi criado para prestigiar a todos que como eu, acreditam em seus objetivos, demonstrando assim em seus blogs, uma forma livre de expor seus sonhos, conhecimentos, pesquisas e experiências de vida...Aos que não têm medo de ser felizes...e que voam alto...

Por isso indico esse prêmio especial e mais que merecido aos seguintes blogs:

Blog Dragão Celta
http://dragaocelta.blogspot.com

Blog Cantinho She
http://sherimendonca.blogspot.com/

Blog Chá das 5 a Meia Noite
http://chadas5ameianoite.blogspot.com/

Blog Chakaruna
http://hernehunter.blogspot.com/

Blog Lancellote
http://lancellotesp.blogspot.com/

Blog Amigos do Freud
http://amigosdofreud.blogspot.com/

Blog A Arte de ter Razão
http://aartedeterrazao.blogspot.com/

Blog Books and Books
http://amb-books-and-books.blogspot.com/

Blog Caminho Celta
http://caminhocelta.blogspot.com/

Blog Mulheres e Deusas
http://rosaleonor.blogspot.com/

Blog Eridanis
http://eridanis.blogspot.com/

Blog Despertar
http://katiabueno.blogspot.com/

Blog Simaltar
http://simaltar.blogspot.com/

Blog Guinevere, a Bruxa
http://bruxaguinevere.blogspot.com/

Blog O Trovador
http://trovador.wordpress.com/

Blog Tarô e Estudos
http://tarotestudos.blogspot.com/

Blog The Wichting World
http://thewitchingworld.blogspot.com/

Blog Cavalheiros e Dragões
http://cavaleirosedragoes.blogspot.com/

Blog Summer Lupus
http://sommerlupus.blogspot.com/

Blog Witch Club
http://witchclubhouse.blogspot.com/

Blog Luz e Escuridão
http://hathorishtar.blogspot.com/

Blog Dragão Sumeriano
http://dragaosumeriano.blogspot.com/

Blog Sacerdotisa de Iris
http://diarioanacronico.blogspot.com/

Blog Sagrado Feminino
http://femininoessencial.blogspot.com/

Blog Jardim de Girassol
http://jardimdegirassol.blogspot.com/



Parabéns pelo lindo trabalho de todos,

Yv.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

História sem começo nem fim...


"A minha vida, tal como a vivi, muitas vezes me pareceu uma história sem começo nem fim.
Eu tinha a sensação de ser um fragmento histórico, um trecho ao qual faltavam o trecho anterior e o seguinte.
Podia perfeitamente imaginar ter vivido em séculos precedentes, onde encontrava perguntas que ainda não era capaz de responder; que teria de nascer de novo por não ter cumprido a tarefa que me havia sido designada."

(Carl Jung)

sábado, 9 de janeiro de 2010

PITTY - SÓ AGORA


Baby, tanto a aprender
Meu colo alimenta você e a mim
Deixa eu mimar você, adorar você
Agora, só agora

Porque um dia eu sei
Vou ter que deixá-lo ir

Sabe, serei seu lar se quiser
Sem pressa, do jeito que tem que ser
O que mais posso fazer
Só te olhar dormir

Agora, só agora
Correndo pelo campo
Antes de deixá-lo ir

Muda a estação
Necessário e são
Você a florescer
Calmamente, lindamente

Mesmo quando eu não mais estiver
Lembre que me ouviu dizer
O quanto me importei
E o que eu senti

Agora, só agora
Talvez você perceba
Que eu nunca vou deixá-lo ir

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Os Instrumentos na Wicca


Nós Bruxos, lançamos mão de alguns utensílios em nossos rituais que são chamados genericamente de Instrumentos Mágicos ou objetos de poder.

Os Instrumentos usados na Bruxaria têm sido inúmeros ao redor do mundo, por milhares de anos. Aqui são representados os fundamentos dos principais Instrumentos.

Há muitos sistemas, Tradições e caminhos na Bruxaria, muitas delas utilizam inúmeros Instrumentos Mágicos não descritos abaixo, outras fazem uso de parte deles e algumas não utilizam nenhum deles, por isso as descrições apresentadas aqui refletem as interpretações mais comuns.

Na Bruxaria há o fator diversidade e, por isso, muitos Pagãos trabalham com rituais elaborados, enquanto outros apenas meditam e fazem suas invocações junto à luz da Lua.

Quando falamos objetos de poder, de forma alguma dizemos que eles são poderosos em si mesmos. Esses objetos servem para invocar a divindade, banir energias negativas e dirigir encantamentos. Muitos deles adquiriram com o tempo, um caráter extremamente folclórico, servindo de tema para numerosos vôos imaginários. A varinha, por exemplo, virou uma espécie de faz-tudo, transformando pedra em ouro, e vice-versa. O caldeirão transformou-se num tenebroso borbulhar de pernas de sapo e asas de morcego. Nossa vassoura adquiriu turbinas e cruza os céus nas noites de lua cheia...

Nossos objetos devem ser mantidos longe do contato com outras pessoas, guardados num local só para eles reservados. Não porque uma outra pessoa possa, pegando-os, roubar nosso poder, mas pelo simples motivo de que, ao usá-los, transmitimos para eles nossa energia, que neles sempre devem permanecer. Por isso, trate de tê-los sempre longe do alcance de outras mãos.

Os Instrumentos Mágicos são utilizados apenas para facilitar o desempenho do ritual e focalizar nossa concentração e intenção. Com o passar do tempo, você irá diminuir, e muito, o uso dos instrumentos até conseguir realizar um ritual sem o uso de nenhum deles.

O maior instrumento de um Bruxo é ele mesmo, nós somos a maior e melhor ferramenta criada pela Deusa e pelo Deus, porém, no inicio das práticas a dificuldade de trabalhar com as energias internas e externas é imensa, logo, os instrumentos funcionam como catalisadores e aumentam a concentraçao, já que empunhar um instrumento nos dá uma maior sensação de controle e poder. Mas são nossas intenções e energias que conduzem qualquer tipo de trabalho mágico. É necessário salientar que nossos corpos são constituídos pelos quatro elementos da Natureza:

TERRA: nosso próprio corpo
AR: nosso sopro e nossa respiração
FOGO: a temperatura de nosso corpo
ÁGUA: nossa saliva e nosso sangue

Veja abaixo o uso e significado de cada Instrumento Mágico:


O CALDEIRÃO


O principal instrumento ritualístico utilizado pelos bruxos, ele simboliza desde a antiguidade o útero universal, ou seja, o útero da Grande Mãe, de onde tudo vem e para onde tudo retorna. Na prática é usado para transformar os feitiços através da queima de ervas, papéis, alimentos, líquidos e demais itens.

É normalmente preto e feito de ferro. Seu tamanho varia de pessoa para pessoa. Representa no altar o elemento éter aquele que une todos os outros. É comum guardar instrumentos menores no caldeirão para protege-los ou escondê-los.




O ATHAME


O ATHAME é um punhal ritualístico de fio duplo sem corte, utilizado para absorver, potencializar e direcionar energias em RITUAIS . Normalmente usado para traçar o círculo mágico e desse modo afastar qualquer tipo de energia ou ser ESPIRITUAL que possa atrapalhar o ritual.

Representa o elemento AR , e é utilizado na celebração simbólica do Grande Rito, ao ser mergulhado no cálice sagrado. Tradicionalmente possui o cabo preto, porém pode possuir outras cores. É comum ter gravados em sua lâmina ou cabo símbolos e selos mágicos.

Importante: O ATHAME não possui nenhum uso de corte, quando não usado para direcionar energias em RITUAL é um instrumento decorativo que serve como símbolo do poder masculino no altar, já que representa um falo, enquanto que o cálice representa um útero. Por se tratar de um objeto que possui ponta, é muito importante que se tenha total cuidado com o seu uso e armazenamento para não gerar nenhum tipo de acidente.

Algumas pessoas utilizam facas de COZINHA , novas, para substituir o punhal, visto que nem sempre conseguem adquirir um. Isto é válido, desde que haja a preocupação de retirar o corte da lâmina da faca, como precaução para que não ocorram acidentes enquanto o objeto está sendo manuseado no rito.

No passado, por puro preconceito, as pessoas acreditavam que os ATHAMES eram utilizados em ritualísticas de sacrifício, infelizmente essa idéia ainda persiste na mente de algumas pessoas. Tal idéia é completamente absurda, visto que, além do objeto não precisar de corte, é completamente fora dos nossos princípios religiosos qualquer tipo de sacrifício.

Ele simboliza o Deus no altar e só é retirado do mesmo, para traçar o círculo ou para efetuar a simbologia do Grande Rito, onde a união do ATHAME e do cálice simbolizam a união do Deus com a Deusa. É possível que alguma tradição dê outros usos ao Athame, porém, com toda certeza nenhum deles pode estar relacionado ao uso do ATHAME como arma.




O CÁLICE


Instrumento utilizado para receber líquidos consagrados, representar o elemento água e a força feminina da Deusa no altar. É normalmente uma taça de prata, estanho, latão ou até mesmo CRISTAL , decorada de maneira variada.

Em conjunto com o ATHAME , é utilizada no Grande Rito simbólico para representar o útero da Deusa e receber o vinho ou suco que será consagrado.


O PENTÁCULO OU PENTAGRAMA


O Pentáculo ou Pentagrama é um instrumento de madeira, argila ou metal, redondo, utilizado para representar o elemento TERRA e para auxiliar na consagração dos outros instrumentos. Normalmente chamado de pentáculo por possuir um pentagrama desenhado, de forma que sirva durante a consagração também como um representante de todos os outros elementos. É também por esse motivo que em seu nome aparece a derivação “Pan”, que em grego significa “tudo”. Representa a ligação dos Bruxos com os Deuses.



A VARINHA/VARETA/O BASTÃO


Instrumento utilizado para invocações, conjurações e direcionamento energético dos bruxos. O bastão representa o elemento FOGO e é usado pelos praticantes de bruxaria para direcionar as energias desprendidas com os trabalhos ritualísticos.


A VASSOURA


Um instrumento muito conhecido nas lendas e contos sobre BRUXAS , porém é importante lembrar que nós não voamos em vassouras, filmes não são a realidade, apesar de que adoraríamos poder voar nas vassouras, isso nos pouparia muito tempo gasto com o trânsito comum. Brincadeiras à parte, a VASSOURA é utilizada em RITUAIS de purificações e como símbolo de fertilidade, pois no passado acreditava-se que algo para crescer e prosperar precisava primeiro ser limpo e organizado.

Muitas vezes é utilizada para limpar a área ritual antes de uma cerimônia começar. É com ela que geralmente "se faz a varredura" como costumamos dizer. A Vassoura não deve tocar o chão durante a varredura. Deve-se varrer a área desejada acima do solo, no ar, enquanto visualizamos a limpeza energética do local.


O SINO


O SINO é um item auxiliar que serve para delimitar o fim ou inicio das celebrações, para gerar vibrações repelentes em ritos de purificação, para “acordar” pessoas em meditação, para auxiliar na atração de seres durante as invocações e para criar melodias diversas em músicas ou danças circulares.


O CASTIÇAL


Item comum para auxiliar na decoração e na organização do altar recebendo VELAS de diversos tamanhos. É comum que os CASTIÇAIS sejam feitos com temas para simbolizar seres mitológicos ou com pequenos símbolos do Deus ou da Deusa.


INCENSÁRIO OU TURÍBULO


Item auxiliar que serve como apoio para a queima de INCENSOS . Pode ser dos mais diferentes tipos para atender as variações de formato dos INCENSOS . O turíbulo, apesar de ser também uma espécie de incensário, funciona não só como apoio, mas para defumações já que é um recipiente de metal, com tampa e pequenos orifícios onde colocamos ERVAS , óleos e carvões para queimar e gerar grande quantidade de fumaça e aroma.


LIVRO DAS SOMBRAS


Inicialmente e tradicionalmente é o nome dado ao livro ou grimório escrito por Gerald B. Gardner que contêm todas as informações pertinentes à prática da WICCA por parte de seus seguidores. O ‘Book Of Shadows’ nome em inglês do LIVRO DAS SOMBRAS é passado de sacerdote(a) para sacerdote(a) através dos tempos desde Gerald Gardner. Apesar de seu conteúdo não poder sofrer alterações, é comum que cada Coven desenvolva pequenos apêndices para complementar às práticas de acordo com a região ou adeptos.

Na atualidade o LIVRO DAS SOMBRAS tem sido confundido com o Livro Negro, nome dado aos diários individuais dos bruxos, onde eram anotados desde ingredientes para feitiços, como também sonhos, eventos importantes, relatos de percepções e ensinamentos que consideravam importantes.



Observações:
- Todos os Instrumentos Mágicos devem ser consagrados;
- Depois que seus Instrumentos forem consagrados, só você poderá tocá-los. Caso outra pessoa os toquem, você deverá reconsagrá-los;
- Para um verdadeiro Bruxo, seus Instrumentos representam a sua essência, o seu ser, a sua alma e possuem vida. Por isso, devem ser respeitados e guardados com cuidado e carinho.






Fontes de pesquisa:
Marcia Frazão em Revelações de uma Bruxa;
Claudiney Pietro em Wicca, a religião da Deusa
Site:www.oldreligion.com.br