segunda-feira, 21 de junho de 2010

YULE - Solstício de Inverno


(21 de Junho Hemisfério Sul / 21 de Dezembro Hemisfério Norte)

Esse é o Solstício de Inverno, a noite mais longa do Ano. A partir desse dia, o Sol se aproxima da Terra, e a escuridão do inverno ameaça ir embora. É quando a Deusa dá à luz seu novo filho, o Deus renovado e forte, ainda bebê. É importante notar que no hemisfério norte o Yule é comemorado na mesma época do Natal, e que tem significado muito parecido com o feriado cristão: o nascimento do Deus menino, filho de um Deus maior, aquele que trará a esperança à Terra.


O hábito de trazer pinheiros para dentro de casa é um hábito totalmente pagão: o Pinheiro, o azevinho, e tantas outras árvores tão utilizadas no Natal são árvores cujas as folhas perenes e sempre verdes, e por isso simbolizam a continuação da vida. Os sinos são símbolos femininos de fertilidade, e anunciam os espíritos que possam estar presentes. É desta data antiga que se originou o Natal Cristão.



Nesta época, a Deusa dá à Luz o deus, que é reverenciado como CRIANÇA PROMETIDA. Em Yule é tempo de reencontrarmos nossas esperanças, pedindo para que os DEUSES rejuvenesçam nossos corações e nos dêem forças para nos libertarmos das coisas antigas e desgastadas. É hora de descobrirmos a criança dentro de nós e renascermos com sua pureza e alegria.



Coloque flores e frutos da época no altar. Se quiser, pode fazer uma árvore enfeitada, pois está é a antiga tradição "pagã", onde a árvore era sagrada e os meses do ano tinham nomes de árvores. Esta é a noite mais longa do ano, onde a Deusa é reverenciada como a Mãe da Criança Prometida ou do Deus Sol, que nasceu para trazer Luz ao mundo. Da mesma forma, apesar de todas as dificuldades, devemos sempre confiar em nossa própria luz interior.




COMEMORANDO O YULE
O altar é decorado com plantas como pinho, alecrim , louro , zimbo e cedro, os quais podem ser utilizados para marcar o Círculo. Folhas secas também podem ser colocadas no altar. Encha o caldeirão - no altar e sobre uma superfície à prova de fogo - com algum líquido inflamável(álcool), ou então coloque uma vela vermelha dentro do caldeirão.


Em rituais externos, prepare uma fogueira sob o caldeirão, a ser acesa durante o ritual . Prepare o altar, acenda as velas e o incenso , crie o círculo, invoque a Deusa e o Deus. de pé diante do caldeirão, contemple seu interior. Diga estas palavras ou outras semelhantes.

"Não me aflijo, embora o mundo esteja envolto em sono.
Não me aflijo, embora os ventos gélidos soprem.
Não me aflijo, embora a neve caia dura e profunda.
Não me aflijo, logo isto também será passado."

Acenda o caldeirão(ou a vela), usando fósforos longos ou uma vela, Enquanto as chamas crepitam, diga:

"Acendo este FOGO em sua honra, Deusa Mãe.
Você criou vida a partir da morte; o calor do frio;
O sol vive novamente; o tempo de luz está crescendo.
Bem - vindo, Deus Solar que sempre retorna!
Salve, mãe de Tudo!"

Circule o altar e o caldeirão lentamente, no sentido horário, observando as chamas. Repita o seguinte por algum tempo: "A roda gira, o poder queima!"

Medite sobre o Sol, sobre as energias ocultas que adormecem durante o inverno, não apenas na TERRA mas em nós mesmos. Pense no nascimento não como o início da vida, mas sim sua continuação. Dê boas vindas ao Deus.

Após algum tempo, pare e novamente de pé diante do altar e do caldeirão no fogo, diga:
"Grande Deus do Sol, Saúdo o Teu retorno.
Que brilhes sobre a Deusa;
Que brilhes sobre a Terra,
Espalhando as semente e fertilizando o solo.
A Ti todas as bênçãos, Ó renascido do Sol!"

Trabalhos de magia, se necessários, podem-se seguir! Celebre o banquete simples. O circulo está desfeito.

ERVAS TÍPICAS DO YULE
Louro, Camomila , Alecrim, Sálvia, Zimbo, Cedro e outras.

COMIDAS TÍPICAS DO YULE
Carne de porco, castanhas, frutas como a maçã e pêras, bolos de castanhas embebidos de cidra, chás de gengibre ou hibisco.
(Fonte: Site Old Religion)

quinta-feira, 10 de junho de 2010

2 anos de Metamorfose Ambulante !!!



Mês de junho, mês de aniversário do Blog Metamorfose Ambulante, agora completando 2 anos.

No primeiro ano, contei de onde surgiu a idéia do blog, das inspirações e de como toda essa magia se multiplicou. Esse ano quero contar um pouco das fases que passei durante esse processo, que foi da fase do casulo até o vôo da borboleta.

Os dois últimos anos foram de renascimento, onde tive que abrir mão de muita coisa pra ser hoje quem sou. Literalmente zerei minha vida, olhei para frente e fui...Vi que muita coisa tinha que ser revista e modificada. E quando se escolhe recomeçar sabemos que não se permanece mais a mesma pessoa. O caminho é irreversível.

Me deparei com muitas estradas, mas foi preciso escolher uma e nela permanecer. Digo isso, porque é extremamente complicado explorar vários caminhos diferentes ao mesmo tempo, correndo-se o risco de se perder e não chegar a lugar nenhum. E o caminho que escolhi, apesar de ter sido lento, foi muito bem aproveitado, como quem come um gostoso brigadeiro de pouquinho em pouquinho para não acabar logo. Lógico que no meio do doce, mordi pedaços amargos, as profundas decepções que temos, que é muito natural.

O fato é que, no final de tudo, consegui um resultado tão mágico e poderoso, que continuo fazendo questão de continuar com esse trabalho, hoje com um pouco mais de 100 seguidores, pessoas que de alguma forma se identificaram e resolveram seguir a mesma idéia. Isso me dá uma imensa alegria! É essa motivação toda que me faz ter vontade de novas descobertas, de fazer essa roda girar todo dia, de pessoas que direta ou indiretamente participam desse renascimento, uma parceria silenciosa, mas muito presente.

Agradeço a todos que me acompanham por aqui.

Yv.