quinta-feira, 23 de setembro de 2010

O Mito da Deusa


Bruxas não tem livros de Teologia... Com todos os milhares de livros escritos sobre a cristandade, ainda acho difícil definir as crenças cristãs... Por outro lado, é fácil fornecer a idéia central ou mito, que em minha opinião pode-se definir como uma história que afeta as ações das pessoas. Estritamente falando, nesse sentido o mito da cristandade está na crucificaxão e na ressurreição, e poucos cristãos discordam disso. O mito da bruxaria parece ser a história da deusa aqui citada:

Ela nunca amou, mas ela resolve todos os mistérios, mesmo o mistério da Morte, e assim ela viajou às terras baixas. Os guardiões dos portais a desafiaram: “Despe teus trajes, tira tuas jóias, pois nada disso podes trazer contigo em nossa terra.” Assim, ela pôs de lado seus trajes e suas jóias e foi amarrada como o eram todos os que entravam nos reinos da Morte, a poderosa.



Tal era a sua beleza que a própria Morte se ajoelhou e beijou seus pés, dizendo: “Abençoados sejam esses pés que te trouxeram por estes caminhos. Permanece comigo, mas deixa-me pôr minha mão fria sobre teu coração”. E ela respondeu: “Eu não te amo. Por que fazes com que todas as coisas que eu amo e que me alegram se apaguem e morram?” “Dama”, respondeu a Morte, “isto é a idade e o destino, contra os quais não sou de nenhuma ajuda. A idade faz com que todas as coisas feneçam; mas, quando o homem morre ao fim de seu tempo, eu lhe dou descanso e paz e força para que ele possa retornar. Mas tu és adorável. Não retornes; permanece comigo.” Mas ela respondeu: “Eu não te amo”. Então a Morte disse: “Como não recebes minha mão em teu coração, receberás o açoite da Morte”. “Esse é o destino, que seja cumprido”, disse ela, ajoelhando-se. A Morte açoitou-a e ela gritou: “Conheço os sofrimentos do amor”. E a Morte disse: “Abençoada sejas” e lhe deu o beijo quíntuplo, dizendo: “Que possas atingir a felicidade e conhecimento”.

E ela lhe contou todos os mistérios e eles se amaram e se tornaram um; e ela lhe ensinou todas as magias. Por isso, há três grandes eventos na vida do homem – amor, morte e ressurreição no novo corpo – e a magia os controla a todos. Para realizar o amor, você deve retornar na mesma época e lugar que os entes amados e deve lembrar-se e amá-lo ou amá-la novamente. Mas, para renascer, você deve morrer e ficar pronto para um novo corpo; para morrer, você deve ter nascido; sem amor você não pode nascer e eis toda a magia.


(Gerald Gardner no livro: A Bruxaria Hoje)

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Ostara - Equinócio de Primavera


(21 de Março) H. Norte / (21 de Setembro) H. Sul

Pela primeira vez no ano, o dia e a noite se fazem iguais. É portanto, uma data de equilíbrio e reflexão. Os dias escuros se vão, e a TERRA está pronta para ser plantada. É quando o Deus e a Deusa se apaixonam, e deixam de ser mãe e filho.

Nessa data, a semente da vida é semeada no ventre da Deusa, A Donzela revigorada e cheia de alegria. O Deus é devidamente armado para sair em sua viagem no mundo das trevas e reconquistá-lo, para que posteriormente a luz volte a reinar.


Ostara é o Festival em homenagem à Deusa Oster, senhora da Fertilidade, cujo símbolo é o coelho. Foi desse antigo festival que teve origem a Páscoa. Os membros do Coven usam grinaldas, e o Altar deve ser enfeitados com flores da época. É um costume muito antigo colocar ovos pintados no Altar. Eles simbolizam a fecundidade e a renovação. Os ovos podem ser pintados crus e depois enterrados, ou cozidos e comidos enquanto mentalizamos nossos desejos. Nesse caso, não utilize tintas tóxicas, pois podem provocar problemas se ingeridas.

Use anilinas para bolo, ou cozinhe os ovos com cascas de cebola na água, o que dará uma bela cor dourada. Antes de comê-los, os membros do Coven devem girar de mãos dadas em volta do Altar para energizar os pedidos. Os ovos devem ser decorados com símbolos mágicos, ou de acordo com a sua criatividade.

Os pedidos devem ser voltados à "fertilidade" em todas as áreas.


Comemorando Ostara

Festeje a vinda da Primavera celebrando o Amor dos Deuses.

Material necessário:
..Caldeirão com água, flores do campo, nove velas amarelas, uma taça com água, um Ovo de Ostara.

.Procedimentos:
..Coloque o Caldeirão com a água no meio de Altar. Crircunde-o com as noves velas amarelas. Trace o Circulo Mágico e então diga:
..Abençoada seja a Primavera que chegou. Agora as flores mostram toda a sua vida através das cores.
..A estação da Esperanca e da Alegria chegou. Que a Deusa e o Deus abencoem a Terra com equilibrio e renovação.
..Acenda as velas ao redor do Caldeirão dizendo:
..Eu acendo estas velas em homenagem a Rainha da Primavera para que a Luz do Sol possa trazer Alegria e Vida.
..Coloque algumas flores dentro do seu Caldeirão com agua e lave as suas mãos mentalizando os seus desejos e fazendo seus pedidos. Depois pegue o Ovo de Ostara e refaça seus pedidos. Diga:
..Abençoada seja ti, Deusa fertilizadora, que abençoa a Terra com a Tua bondade através de Tua união com o Deus fertilizador. Que este Ovo represente a semente do meu desejo.
..Eleve a Taça e diga:
..Abençoada seja a Primavera que regressou. Qua a Roda da Vida sempre gire. Que assim seja e que assim se faça !
..Beba um gole da água e faça uma libação a Deusa e ao Deus. Cante e dance em homenagem aos Deuses. Destrace o Circulo Mágico.






(Fontes: waikonazos.br.tripod.com e site old religion)