quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Alguns equívocos sobra a Bruxaria


Tentando resolver pelo menos em parte essa situação, escrevemos este texto desmistificando o que acreditamos ser os equívocos mais comuns relacionados à Bruxaria.


Bruxas e bruxos não são anti-cristãos

Nem querem acabar com o Cristianismo. Bruxos(as), acima de tudo, respeitam as demais religiões, assim como exigem o mesmo respeito pela religiosidade deles. É claro que há muitas mágoas guardadas por tudo o que foi feito na história da humanidade, mas não nos prendemos a isso, e sim a atos do presente. Queremos simplesmente viver e praticar a nossa religião. As bruxas e bruxos têm crenças que remontam aos primórdios da humanidade, muito anteriores ao Cristianismo. O Cristianismo tentou suprimir tais sistemas, mas nós não queremos fazer o mesmo (e jamais quereremos).



Bruxas e bruxos não cultuam o diabo

Buscamos reviver as crenças de um período que remonta aos primórdios da humanidade, um período muito anterior ao Cristianismo. O diabo foi uma criação do Cristianismo e não tem absolutamente nada a ver com as crenças pagãs. Obviamente atribuir as práticas das bruxas e bruxos ao diabo era conveniente, visto que as religiões cristãs recriminam qualquer ato não-cristão como um ato “do diabo”. Há cultos ao diabo por todas as partes do mundo, mas estes nada têm a ver com a Bruxaria, tratando-se apenas de pessoas que praticam uma inversão do Cristianismo. Cada um tem as suas crenças, mas felizmente esta não é a nossa. Celebramos os deuses antigos na Natureza.


Os deuses antigos não são demônios

Alguns cristãos fundamentalistas afirmam que qualquer pessoa que não pratique a forma de Cristianismo deles é satanista por definição, e incluem sob essa denominação judeus, muçulmanos, kardecistas, budistas, hinduístas, entre muitos outros. As bruxas e bruxos celebram a Natureza, só isso.


Bruxas(os) não assassinam pessoas

Diversos atos maléficos de pessoas perturbadas são atribuídos à Bruxaria. Diversas vezes,vemos no noticiário coisas como “Ritual de Bruxaria leva à morte três pessoas” ou “Bruxa em Pernambuco afirma comer carne humana”. Isso é ridículo. Essas pessoas não são, nem de perto, praticantes da Bruxaria. São doentes mentais, criminosas, e devem ser presas.


Não existem “ex-bruxas”

Cansamos de ver em programas televisivos evangélicos pessoas que se intitulam “ex-bruxas”.Em tais programas, essas pessoas contam ao pastor-apresentador como faziam “trabalhos” para acabar com a vida das pessoas. Isso não existe. O que essas pessoas faziam (isto é, se chegaram a fazer realmente alguma coisa) não tem absolutamente nada a ver com Bruxaria. A regra de ouro das(os) bruxas(os) é: “Sem prejudicar ninguém, faça o que quiser”, pois sabemos que tudo o que fizermos voltará para a gente – é a lei do eterno retorno, que é vista em tudo na Natureza. As(os) bruxas(os) sabem que, se fizerem o mal, tudo voltará para elas de forma muito maior, assim como se fizerem o bem. Por isso, é claro que ninguém vai desejar o mal de ninguém, nem querer prejudicar ninguém. Pessoas com má índole existem em todos lugares, independente de sua religião. E, se uma pessoa é assim, isso significa que
ela é uma pobre coitada que um dia pagará por seu atos, e não uma pessoa que pode ser considerada bruxa.



Bruxas(os) não praticam “magia negra”

Tais termos são errôneos e causam muita confusão.


Bruxas(os) não são proselitistas

Você jamais encontrará uma bruxa ou um bruxo distribuindo folhetos sobre Bruxaria nas esquinas da sua cidade, simplesmente porque acreditamos que a religiosidade de cada pessoa é absolutamente pessoal e só ela pode saber o que é bom para ela. A Bruxaria é uma opção pessoal, como qualquer outra religião, e os interessados devem correr atrás do aprendizado, se assim desejarem de coração.


A Bruxaria não é um ato de rebeldia

Pelo menos àqueles que a praticam de modo sério. Há certamente muitos jovens (e até adultos, por que não?) que buscam um meio de escape para fugir da sociedade opressora que os cerca, e dizem-se bruxos ou buscam a Bruxaria apenas para colocarem-se contrários ao sistema. Infelizmente, esta é uma realidade, mas uma realidade que tentamos mudar através de sites como este. A Bruxaria não é um sistema de auto-ajuda e seus praticantes são pessoas sérias e idôneas, e não um bando de malucos.



Bruxas(os) não usam drogas em seus rituais

Muito pelo contrário: querendo estar cada vez mais próximas à Natureza, a maioria das(os) bruxas(os) busca uma alimentação e hábitos saudáveis, o que descarta imediatamente o uso de drogas. Além disso, realizar um ritual torna-se praticamente impossível sem a pessoa estar consciente de seus atos. Drogas: estamos fora!

Bruxas(os) não praticam orgias

Também não somos pedófilos, comedores de carne humana e outros absurdos que são ditos por aí. As(os) bruxas(os) celebram a fertilidade da Natureza e consideramos o ato de fazer amor um ato totalmente sagrado. Algumas bruxas e alguns bruxos gostam de realizar seus ritos nus porque acreditam que, desta forma, sua energia flui melhor. Porém, trata-se de uma escolha pessoal e não há abusos ou sequer malícia. Viemos nus ao mundo e o pecado foi colocado na mentalidade humana com o decorrer dos tempos. As bruxas trabalharem nuas em seus rituais não significa que elas sejam “pecadoras” ou que estejam praticando sexo; só estão nuas.


Não usamos “símbolos satânicos”

O pentagrama (estrela de cinco pontas), ao contrário do que dizem, não é um símbolo
satanista. Ele é um símbolo muito antigo usado até por Pitágoras; seus seguidores o usavam para simbolizar o seu respeito pela beleza matemática do universo. Em muitos lugares e épocas, ele foi utilizado como um símbolo geométrico sagrado. O fato de satanistas usarem o pentagrama não significa que eles são bruxos (da mesma forma como usam o crucifixo e não são cristãos).


A palavra "Satã"

A palavra satã é uma adaptação do termo hebraico sathan, que significa “o inimigo”, “o adversário”. Este termo foi empregado durante a Idade Média pela Igreja para denominar seus inimigos, entre os quais pagãos e judeus, além de outros como os árabes.

O termo “acusador” existia no Império Persa, cuja função era a de percorrer secretamente o reino e fiscalizar tudo o que estava sendo feito de mal no sentido de apresentar denúncias diante do Imperador, que mandava chamar os funcionários faltosos e os castigava.

Com a evolução da doutrina religiosa judaica, Satã acabou se convertendo, de um acusador dos pecados dos homens, num deus secundário, oposto a Javé.

Na época das Inquisições e através destas, o termo foi utilizado para denominar o mal absoluto dos cristãos, também chamado de diabo. Assim, percebemos que a utilização para este fim é recente.




(Escrito por: Luazul, março de 2009 e setembro de 2010 para o site Bruxaria.Net).

4 comentários:

Cantinho She disse...

Oi... vejo que você vai lá no meu blog e nem dá um oi... tudo bem?

Beijo, beijo!
She

Livia Luzete disse...

Bruxas e bruxo são antE-cristãos!!!É o que sempre respondo ao uma amigo que não entende o pq ser bruxa, se somos contrários aos cristãos!Em tempo:ele é kardecista.

Night Volker disse...

muito bom esse post ^^ Eu na verdade não sou bruxa, mas respeito essa religião, eu adorei essa postagem porque fala exatamente o que minha irmã sempre falou (eu não tinha esse conhecimento amplo) que o cristianismo converteu a bruxaria para algo satânico...
Eu gosto quando as pessoas sabem defender um ponto de vista, parabéns ^^ Ah sabe, eu não sou bruxa, já falei, mas como eu adoro aprender, vou usar seu blog como fonte de conhecimento, kkkkkk
Bom então, parabéns de novo e obrigada por nos ensinar mais sobre novas religiões com esse post ^^
Nya... Parabéns de novo kkkk

flor rebelde disse...

muito interessante essa matéria..eu sempre sou q bruxas ou bruxos nunca praticam o mal mais eu sempre ficava grilada foi então q a sua matéria matou a minha curiosidade .. obrigada de verdade