segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A importância de uma Espiritualidade saudável


Fui criada dentro do cristianismo. Mesmo sentindo meu coração sempre duvidoso sobre onde estava, esse era o único caminho espiritual que eu conhecia e que me faziam acreditar como “única verdade”. Infelizmente, eu não compreendia uma coisa muito simples que posteriormente constatei na minha própria vida: a religião não é necessariamente espiritual e a espiritualidade não é necessariamente religiosa. Fato !

Sempre sentia que os ensinamentos cristãos não me davam as respostas de que eu precisava. E muitas das idéias e posturas que as pessoas religiosas defendiam eram apenas coisas que tinham aprendido e aceitado. Além disso, os representantes das religiões cristãs estavam sempre prontos para apontar o dedo na direção daqueles que não professavam a mesma fé.

Hoje sou uma bruxa, seguidora da religião Wicca, e com muito orgulho por ter uma espiritualidade bem definida que só me traz benefícios, paz interior e pensamentos de amor. Tento fazer sempre o meu melhor dentro de minhas limitações como ser humano. Mas justamente é essa espiritualidade bem vivida que me ensina como continuar sem medos. Mesmo em meio às atribulações da vida.

Reconheço que muitas igrejas pregam felicidade, amor e o não-julgamento, tenho inclusive amigos que se formaram comigo em Teologia e se tornaram pastores, mas verdadeiros líderes que sabem pregar o amor ao próximo sem distinção nem preconceitos. Mas a igreja que eu conheci, definitivamente não era uma delas. Muito menos o que via e ouvia em seus “bastidores”.

Se é para falar de “verdades”, acredito que o verdadeiro cristianismo (aquele que segue os passos de Cristo) seja muito semelhante à filosofia da Wicca, por exemplo, no que se professa a ética e a moral. Percebo agora que o cristianismo que eu procurava na época não era esse, pois os ensinamentos originais de Cristo relacionados à paz e à igualdade entre todos os seres humanos tinham sido deturpados pelo julgamento, pela condenação e pelo egocentrismo. É lamentável que as escrituras sejam tantas vezes mal interpretadas, deturpadas e mutiladas para manipular as pessoas. Grande parte do cristianismo de hoje não representa a religião em seu sentido mais verdadeiro.

Mas também preciso admitir que muitos pagãos e praticantes de magia são pessoas irresponsáveis ou mal informadas. Além disso, vêem a espiritualidade como algo separado da vida diária. É uma pena, pois isso só contribui para formar uma imagem negativa das pessoas que buscam com sinceridade a realização espiritual e o autodesenvolvimento por meio de um culto pagão.

Um número absurdo de pessoas vive passando de um caminho espiritual para outro, sem nunca se satisfazer com nenhum deles. Esse é um fato compreensível que encerra uma grande lição: a maioria dos caminhos espirituais tem a mesma essência, mas metologias diferentes. Tudo é uma questão de como utilizá-los e aonde deixamos que eles nos levem. Todo caminho tem também as suas falhas e maus seguidores que desvirtuam a sua intenção original.

Minha experiência ensinou-me uma coisa muito certa: Pessoas tem o direito de buscar sua espiritualidade aonde for e serem respeitadas por isso. Mas se essa busca não for bem trabalhada nem bem orientada, o que gera disso tudo são pessoas ainda mais inseguras, perdidas e conformadas com qualquer coisa que ouvem por aí, principalmente vindo de líderes mal intencionados e que nada acrescentam em nossos corações e mentes.

Um mundo de mais amor, respeito, compreensão e livre de preconceitos e julgamentos é o que nos falta. Se isso é utopia? Claro que não. Porque não existe um só ser humano que não sonhe com isso. Daí minha luta e preocupação pela divulgação de uma espiritualidade saudável.

Nenhum comentário: