quarta-feira, 31 de outubro de 2012

"Nas páginas que seguem..."


"Nas páginas que seguem, apresentarei provas de que existe uma técnica psicológica que torna possível interpretar os sonhos, e que, quando esse procedimento é empregado, todo sonho se revela como uma estrutura psíquica que tem um sentido e pode ser inserida num ponto designável nas atividades mentais da vida de vigília. Esforçar-me-ei ainda por elucidar os processos a que se devem a estranheza e a obscuridade dos sonhos e por deduzir desses processos a natureza das forças psíquicas por cuja ação concomitante ou mutuamente oposta os sonhos são gerados. A essa altura, minha descrição se interromperá, pois terá atingido um ponto em que o problema dos sonhos se funde com problemas mais abrangentes cuja solução deve ser abordada com base num material de outra natureza."

(Sigmund Freud em "A Interpretação dos Sonhos")

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Críticas comuns à Psicanálise


Saiu em uma certa revista famosa deste mês (não citarei o nome), uma critica à Psicanálise, dizendo estar esta ultrapassada...notícias como esta se encontram com frequência em diversas mídias...e o ataque à Psicanalise é comum desde seu surgimento.

É interessante perceber que em contrapartida, muitas das descobertas atuais das neurociencias está confirmando as suposições e conclusões teóricas freudianas e psicanalíticas, mostrando sua força e atualidade!

E cada vez mais, dentro de Instituições como escolas, hospitais e clínicas, a figura do Psicanalista ganha força e voz!

Da revista, selecionou-se uma imagem (acima), que de forma sintética aborda algumas das escolas e vertentes psicoterapêuticas.

sábado, 27 de outubro de 2012

EU SOU...(E SEREI)...


‎"EU SOU OS LIVROS QUE LEIO, OS LUGARES QUE CONHEÇO, AS PESSOAS QUE AMO.... EU SOU AS ORAÇÕES QUE FAÇO, OS SONHOS QUE TENHO... EU SOU AS DECEPÇÕES POR QUE PASSEI, AS PESSOAS QUE PERDI, AS DIFICULDADES QUE SUPEREI... EU SOU AS COISAS QUE DESCOBRI, AS LIÇÕES QUE APRENDI, OS AMIGOS QUE ENCONTREI... EU SOU OS PEDAÇOS DE MIM QUE LEVARAM, OS PEDAÇOS DE ALGUNS QUE FICARAM E AS MEMÓRIAS QUE TRAGO... EU SOU CADA UM DOS MEUS ERROS, CADA PERDÃO QUE NÃO SOUBE DAR, CADA PALAVRA QUE NÃO PROFERI... EU SOU CADA CONQUISTA ALCANÇADA, CADA EMOÇÃO CONTROLADA, CADA LAÇO QUE CRIEI... EU SOU AS LEMBRANÇAS QUE TENHO, OS OBJETIVOS QUE TRAÇO, AS MUDANÇAS QUE SOFRI, O APRENDIZADO QUE APRENDI... EU SOU A MESMA DE SEMPRE, SOU A FÉ QUE PROFESSO E O DESTINO QUE ESCOLHI..." 

por Yv Luna

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Alice Liddell - A Verdadeira Alice no País das Maravilhas


No dia 4 de julho de 1862, Lewis Carroll (pseudônimo de Charles Dodgson) convidou as três filhas de seu amigo Liddell – Alice, Lorina e Edite – para um passeio de barco no rio. Durante o passeio, Alice pediu que ele contasse uma história para elas. Lewis contava a história enquanto remava ao longo do rio. Fez três tentativas de término da história, mas as meninas não permitiam e pediam para que continuasse. Quando a história terminou, já passava das oito da noite. 

Antes de deitar-se, na mesma noite, Lewis escreveu toda a história, tal como a tinha contado às meninas. A história se chamava “Alice Debaixo da Terra”. Só dois anos mais tarde, em 1864, é que ele releu a história. Acrescentou-lhe então alguns personagens, capítulos e alterou o título para “Alice no País das Maravilhas”.




(Fonte: educ.fc.ul.pt Foto: Lewis Carroll)