segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A Rosa Negra


Eu sou a rosa negra.
A rosa noturna.
Às vezes, azul de tão negra.
Às vezes, rubra de tão branca.

Eu sou a rosa negra.
A impossível rosa
sempre presente.
A potente rosa,
inatual e sensível.

Claro enigma,
pedra no caminho,
eu sou a rosa negra.
Ideal e pensável,
Imune ao tempo,
Inexistente.

Eu sou a rosa negra cultivada
no secreto jardim.
A rosa anárquica e mística.
A rosa da rosa,
acabada e pronta.



(cronista e poeta Antonio Caetano)

Nenhum comentário: